sábado, 19 de junho de 2010

Sylvia Plath - A Poeta

"Talvez eu nunca seja feliz, mas esta noite estou contente." - uma de suas célebres frases.





Sylvia escrevia contos e poemas, e a tristeza era o seu traço constante. Descreveu, como ninguém, a solidão, a angustia, a raiva e a fúria.

Carregava, desde muito jovem, uma longa história de depressão e foi através do seu único romance - A Redoma de Vidro - um livro semi-autobiográfico, assinado sob o pseudônimo de Victoria Lucas, que contou em detalhes sua luta contra a doença.

Casou-se com o poeta TED HUGHES mas, 6 anos e 2 filhos depois, ele a abandonou para ficar com sua amante.

Sylvia tinha então 30 anos quando, numa certa manhã de 1963, ligou o gás, colocou a cabeça no forno e partiu.




A relação trágica e tumultuada de Ted e Sylvia já estava fadada, pois Ted era um grande sedutor e sua infidelidade era notória, o que só fez acentuar nela a paranóia de uma mulher ciumenta, desequilibrada e com impulsos suicidas.

Logo no início do relacionamento deles, como numa premonição, Sylvia escreveu para ele um poema que se chamava "Pursuit", que falava de uma pantera que a perseguia até a morte, e a quem ela lançava o seu próprio coração, numa tentativa de acabar com aquela angustia.



Eles se separaram pouco antes do suicídio e muitos o responsabilizaram indiretamente pela morte de Sylvia, já que ele a havia deixado para ficar com ASSIA WEVILL, que estava grávida.


E como tragédia pouca é bobagem, em 1969, Assia também pôs fim a sua vida da mesma forma que a poeta, só que ela foi mais dramática e arrastou para a morte a filha de 4 anos com quem teve com Hughes.

A pergunta que não quer calar: O que esse homem tinha que fez com que 2 mulheres tirassem suas vidas por causa dele, supostamente????

A escritora EMMA TENNANT foi uma de suas amantes e o descreveu como um homem que arrastava facilmente as mulheres para a sua zona de influência, que aliciava irremediavelmente as mulheres com modos encantadores que escondiam a sua natureza predadora.

Bom, depois destas tragédias, Ted Hughes levantou um muro de silêncio em torno de sua vida privada. Em 1970 casou-se com Carol Orchard, com quem permaneceu até o fim de sua vida. Morreu aos 68 anos.

A sucessão de tragédias pessoais de Hughes se fechou em 2009, quando NICHOLAS HUGHES, seu filho com Sylvia Plath, também cometeu suicídio, enforcando-se em sua casa no Alaska.

2 comentários:

Lu disse...

Olá, adorei sua visita ao meu vivaagora, viu!!! Apareça sempre!
Muito bacana seu blog também. Bastante original!
Beijos!!!

P.S.: Sobre conhecer Ouro Preto, que disse ter ficado tentada depois de ver as fotos no meu blog, acho que vale muito a pena, sim. Há muita coisa linda em toda a região.

Anônimo disse...

gostei de ter conhecido um pouco sobre a vida dessa poeta e sofrida mulher sylvia plath! ela era emocionalmente instavél e ainda se apaixonou por um canalha que era um mulherengo eo estrago foi feito! ela deveria ter se valorizado e saido dessa relação destrutiva em que se envolveu. sylvia não devia ter se matado! eu não posso julgala , mas ela foi muito fraca e ainda deixou um filho, que mesmo pequeno com certeza ficou marcado por sua mãe ter se suicidado!