quinta-feira, 17 de março de 2011

James Dean

Assim como "meio mundo", cresci com a imagem icônica de James Dean. Aquela coisa meio "uau, ele é o máximo". Então aos 16 anos, minha mãe achou que eu estava preparada pra ver Juventude Transviada... DE-TES-TEI. Achei James Dean um canastrão. Foi uma decepção, achei ele um péssimo ator!





Ok, não posso negar que ele era realmente charmoso, fazendo a linha "bad boy" acabou ficando bonitinho... mas odinário.

Durante 01 ano não podia ouvir ninguém falando dele que eu ia logo dizendo que "era a maior propaganda enganosa da face da Terra".



Aos 18 anos, num sinal de trégua, resolvi ver Assim Caminha a Humanidade e Vidas Amargas... minha opinião continuou firme e forte. Gostei dos filmes mas a atuação dele...



... só que já comecei a me interessar pelo seu jeitão amargurado... aquilo realmente me seduzia... "sujeito esquisito", eu pensava.


A partir dos 20 anos parei de implicar com ele e me rendi aos seus encantos. Passei a gostar de verdade do ícone que ele se tornou, na verdade, no que transformaram ele. E há mais ou menos 3 anos, resolvi rever os filmes, pra quem sabe, mudar a minha opinião em relação a sua atuação...



... teve jeito não. Continuo detestando ele como ator, mas amando muito como um ícone da "juventude transviada" pré-fabricada da indústria hollywoodiana dos anos 50.


3 comentários:

'Lara Mello disse...

O mais importante amiga é que eu vou nele! Hihi

AliceGap disse...

Todo mundo conhece alguém "James Dean".
Como vc disse, mais do que pessoa (ator), James Dean virou substantivo e as vezes adjetivo.
Bom fimds

Roderick Verden disse...

Ótimo e original texto, Ana!

E gostei da sua foto no avatar, viu? Com um jeito sereno...rs