quinta-feira, 19 de agosto de 2010

GIA


Da metade dos anos 70 a metade dos 80, Gia Marie Carangi foi a maior e mais bem paga modelo da cena fashion.



Era despojada, cheia de atitude, bissexual assumida e, é claro, linda. E com o seu estilo "rock'n'roll" de ser e vestir, fez com que todos os estilistas e grandes marcas ficassem, literalmente, aos seus pés.



Foi a queridinha de grandes fotógrafos como Richard Avedon, Francesco Scavullo, Arthur Elgort, Chris Von Wangenheim, entre outros.

Maaaas, no meio do caminho tinha uma pedra. Tinha uma pedra no meio do caminho... as drogas. Gia sucumbiu à cocaína e heroína.

E aos poucos o seu trabalho foi sendo afetado. Por conta do seu vício, suas atitudes marcaram sua trajetória no mundo da moda, como quando, sem a menor explicação, largou uma sessão fotográfica e foi embora, ou simplesmente dormiu no meio das fotos.

Diz a lenda que em um de seus últimos trabalhos, seus braços foram maquiados e colocados atrás do corpo para tentar esconder as marcas deixadas pelas seringas. Taí a capa da revista Cosmopolitan que não nos deixa mentir, e que foi eternizada no filme biográfico GIA.


Gia realmente tentou mudar e entre indas e vindas em centros de reabilitação, sua mentora Wilhelmina Cooper faleceu, o que foi motivo suficiente para que ela largasse todo o tratamento que vinha se submetendo.

A decadência foi tanta que ela passou a se prostituir para manter o seu vício. E o resultado não poderia ter sido pior, ela acabou sendo contaminada pelo vírus da aids. Quando começou a se tratar não tinha dinheiro para custear o tratamento e teve que se declarar indigente para conseguir ajuda médica.

Em 1986, aos 26 anos, Gia faleceu por conta de uma infecção generalizada causada pela aids.

A HBO, em 1988, produziu o filme Gia - Fama & Destruição, estrelado pela Angelina Jolie, que por conta de sua interpretação ganhou um Globo de Ouro.

Há alguns meses o filme voltou a ganhar destaque, tudo por conta das cenas de lesbianismo e nudez da Angelina...






4 comentários:

mjosie disse...

Filme forte, mas marcante. Não deve deixar de ser visto, pela história em si e pela atuação da, então não tão badalada a não ser por ser filha de ator consagrado, ANGELINA JOLIE. Linda, maravilhosa e uma atuação fantástica. Como continua sendo até hoje.

@Raspante disse...

Não sabia que o filme GIA da Angelina era a história desta modelo, não imaginava mesmo!
Vou ver este filme ainda esta semana!!
Bom post!
Abs.

@Raspante disse...

Ana, segui essa sua dica, eu vi o filme!
Muito bom, muito mesmo!
Chorei na última cena... HAHAHAHA.

Tania Rocha disse...

estou vendo agora no Cinemax e que triste ver alguém se matar assim.